[vc_row][vc_column width=”1/4″][vc_single_image img_link_target=”_self” image=”161″ img_size=”400 × 527″][/vc_column][vc_column width=”3/4″][vc_column_text]Aneurismas cerebrais são responsáveis por 75 a 80% de todas as hemorragias chamadas subaracnoides. As hemorragias subaracnoides (HSA) são hemorragias que acontecem para o espaço cerebral banhado pelo líquido cerebroespinhal, também chamado de líquor, e embora nos casos mais graves possa se estender para o tecido cerebral propriamente dito, diferentemente dos chamados AVCs (os quais ndormalmente ocorrem como consequência de anos de pressão arterial alta e acúmulo de colesterol nos vasos cerebrais), isso é a exceção.

No entanto, o fato de se manifestarem de modo distinto aos AVCs não torna as hemorragias subaracnoides menos graves. Pelo contrário, o sangue, pela presença de Ferro em sua composição, é extremamente tóxico para os tecidos quando extravasa de dentro dos vasos sanguíneos. De todos os pacientes que sofrem HSAs, 10 a 15% morrem antes de alcançar auxílio médico. A mortalidade até 30 dias após a HSA é de até 46%.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_column_text]De um modo geral alguns fatos estatísticos sobre a HSA:

– o pico de incidência de sangramento é entre 55 e 60 anos. Somente 20% dos casos ocorrem entre os 15 e 45 anos de idade.
– 30% das HSAs por aneurisma cerebral ocorrem durante o sono.
– 50% dos pacientes com aneurismas cerebrais apresentam sintomas prévios de 6 a 20 dias antes da HSA . Explico mais adiante quais são estes sintomas.
– pacientes que sofrem HSAs após os 70 anos de idade apresentam normalmente quadros neurológicos de maior gravidade.

Fatores de risco para hemorragia subaracnoídea:
– Hipertensão arterial
– Uso de contraceptivos orais
– Tabagismo
– Gravidez e parto[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]