_MG_1133

O que é o Tap Test?

É uma avaliação da resposta ao tratamento cirúrgico para Hidrocefalia de Pressão Normal (HPN). O teste é feito por uma equipe multiprofissional, formada por profissionais da área da neurologia/neurocirurgia, neuropsicologia e fisioterapia. Ao simular os efeitos do tratamento cirúrgico, o teste permite avaliar os benefícios do procedimento, auxiliando na escolha da melhor opção terapêutica.

A HPN é uma síndrome na qual o paciente apresenta alteração de marcha, demência e incontinência urinária. Também conhecida como Síndrome de Hakim Adams, ela foi descrita pela primeira vez em 1957. Trata-se de uma das causas tratáveis de demência, sendo comumente confundida com outras síndromes demenciais.

Há a possibilidade de reversão do quadro por meio de derivação ventrículo-peritoneal. Trata-se de uma cirurgia relativamente simples, que promove a alteração da dinâmica de circulação do líquido cefalorraquidiano no sistema nervoso central. Como em tudo relacionado ao cérebro, tempo é fundamental. Os melhores resultados são obtidos em pacientes com diagnóstico precoce, geralmente até 2 anos do início dos sintomas. Este número, entretanto, pode variar de paciente para paciente.

O TAP TEST consiste na realização de uma punção lombar com retirada de aproximadamente 40ml de líquido cefalorraquidiano. Antes da coleta são feitas duas avaliações: desempenho da marcha/equilíbrio do paciente e exame neuropsicológico, medindo-se as capacidades cognitivas (memória e atenção). As mesmas avaliações são repetidas após a coleta.

O exame é realizado em 3 etapas:

1ª Etapa: avaliação da marcha/equilíbrio e capacidades cognitivas;

2ª Etapa: punção do líquido cefalorraquidiano na região lombar;

3ª Etapa: reavaliação da marcha/equilíbrio e capacidades cognitivas.

Pacientes que apresentem melhora significativa após a punção têm indicação de tratamento cirúrgico (derivação ventrículo-peritoneal) com o objetivo de alterar a dinâmica da circulação liquórica e reverter a tríade de sintomas (alteração de marcha, demência e incontinência urinária).

O crescimento da população idosa, a melhoria dos métodos diagnósticos e o maior acesso à informação aumentou o interesse em HPN. O tema tem sido abordado com frequência na mídia e redes sociais. De olho nesse mercado, diversos laboratórios e hospitais passaram a oferecer o TAP TEST. Infelizmente, a qualidade destes testes não acompanhou a quantidade. Muitos testes são simplificados para reduzir custos, comprometendo o resultado, já que não detectam alterações menos óbvias, porém significativas. O risco de um resultado falso negativo não é desprezível, condenando pacientes potencialmente tratáveis a uma vida limitada e sem dignidade.

O diferencial do INMI é a realização da avaliação mais completa possível da doença. Mobilidade (marcha/equilíbrio) e cognição (memória/atenção) são avaliadas com escalas objetivas e métodos descritos em literatura científica sobre o tema. Melhora igual ou maior a 10% em pelo menos três escalas são necessárias para indicar cirurgia. Temos como base estudos recentes realizados pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Nosso método já foi aplicado em séries de mais de 100 pacientes com resultados publicados em revistas científicas.