Sobre como a luz dos smartphones afeta o cérebro e o corpo

Frequentemente deixamos alertas para as consequências nefastas da utilização do smartphone antes de adormecer, com as luzes apagadas mas, ainda assim, pesquisas revelam que 60% das pessoas adormece com o smartphone na mão.

Hoje mostramos de que forma são o nosso cérebro e corpo afetados pela luz emitida por equipamentos deste gênero, sejam eles smartphones, tablets ou computadores.

As telas dos smartphones são desenvolvidas de forma a que seja possível utilizá-las em qualquer situação, mesmo em condições de luz muito intensa. Para que isso seja possível, é emitida luz azul brilhante e é esta a responsável por alguns problemas que tendem a afetar o nosso corpo e cérebro.

Estes problemas advêm principalmente da sua utilização durante a noite, muitas vezes antes de adormecer, já que o cérebro pra de produzir melatonina, o hormônio que indica ao corpo que está na hora de dormir.

Mas como é que isso funciona?

Ao estar sujeito à luz azul durante a noite, o cérebro confunde-se e prejudica a memória para o dia seguinte.

O sono vai ficar prejudicado e isso irá prejudicar o desenvolvimento do cérebro, a capacidade de raciocínio e de aprendizagem.

A não produção de melatonina pelo cérebro tende a aumentar os problemas relacionados com depressões, que se agravam com a exposição à luz azul durante as horas que deveriam ser de descanso. Ainda associado a este problema, está o descontrolo da fome que poderá potenciar o risco de obesidade.

O risco de câncer de mama e de próstata são nestes casos mais elevados uma vez que o corpo não descansa convenientemente devido à perturbação do sono. A luz azul é também responsável por problemas como cataratas ou descolamento da retina.

Fonte: pplware